Seguidores

sábado, 3 de dezembro de 2011

Saudade Doída

Te amo de uma forma tão diferente.
Jamais me senti assim, coração aos
saltos, uma ansiedade louca.
Vontade de te ter toda hora, sem hora.
Necessidade de pele, de toque, de cheiro.
Talvez agora eu saiba como é doída a
saudade que os poetas sempre falam
em seus versos.
Geninha®

Nenhum comentário:

Postar um comentário