Seguidores

domingo, 14 de março de 2010

Muito Estranho

Quando me beijaste
Causou-me estranheza
Me senti como uma pluma
Em rodopios pelo vento
Onde estaria o chão
Que eu não conseguia tocar?
Difícil explicar tão gostosa sensação
Criei asas para voar além
Das encostas do abismo
Que minha alma se encontrava
Teu beijo ardente me resgatou
E trouxe finalmente
Paz para minha vida.
Geninha®
Feliz

Hoje pela manhã
Acordei disposta e feliz
Meu rosto refletido no espelho
Meus olhos claros, um leve sorriso
No peito um ímpeto de ver-te
Para de novo experimentar
A doce sensação de ficar
Deitada no teu corpo.
Geninha®
Mais Uma Chance

Diante do meu silêncio
Voltaste a insistir
Que juntos encontraríamos
O caminho da felicidade
A firmeza de tua voz
Fez renascer em mim
A esperança de que nosso amor
Carecia de mais uma chance.
Geninha®
Consciência

Imersa em reflexões
Percebo tua doce presença
Gostas de ficar a me olhar
Respiro fundo o ar
Desta manhã de primavera
E agradeço aos céus
Tua companhia
Pois tenho devida consciência
Que nascemos para nos amar.
Geninha®
Vínculos Eternos

Sinto meu coração vinculado ao teu
Alimento esperança que abranda
A saudade que sinto de ti
Pois partiste intolerante
Sem ao menos nos dar a chance
De aparar as arestas
Que surgia entre nós
Foste deveras inconsequente
Pois sei que sofres sozinho
Assim como eu
Precisamos um do outro
Então pare de se lamentar
Penses tão somente em nós
E venha me encontrar.
Geninha®

Libertação

Deitada em nossa cama
Absorta em pensamentos
Só enxerguei minha libertação
No amor
Eu preciso abrir meu coração
Voltar a amar
Te esquecer de vez
E recomeçar . 

Geninha®
                                                                


quarta-feira, 10 de março de 2010

Meu Clamor

Uma paz íntima me envolve
Me sinto inteiramente mulher
Curvada diante do nosso amor
Que não me permite entristecer
Clamo por tua presença todos os dias
Vens e trazes contigo
Toda paz e amor
Que necessito para me sentir
Absolutamente feliz.
Geninha 
Ninguém Jamais

Em um apelo clamoroso
Minha alma chama pela tua
Extravaso esta angústia represada
E choro sem vergonha alguma
Meu desejo mais urgente
É que estivesse aqui do meu lado
Pois não me desapeguei de ti
Por favor não me censure
Doravante nos encontraremos
E aí terás por fim a certeza
Que nunca ninguém jamais
Te amará assim como eu te amo.
Divagações

Fico estirada na cama
A sensação que experimento
É que nosso quarto flutua
Em um átimo desfiam pela minha mente
Nossos loucos momentos de amor
Uma paz imensa me invade
Agora só me resta esperar
Para que voltes correndo
Para o calor dos meus braços.
Quando dizes que me ama
De tua boca brotam estrelas
Que esparramam sobre mim
E me deixa brilhante
Radiante de felicidade.
Geninha 
Quando te vi, sorri
Quando sorri, te amei
Quando te amei
Deixei a solidão de lado
E segui contigo
A estrada que leva à felicidade.
Geninha 
Renuncia

Te amei com doçura
Com paixão
Depositei minha vida
Em tuas mãos
Mas não foste sincero
Só conseguiste me magoar
E agora só me resta
Renunciar meus sonhos contigo
Me livrar deste amor
Te mandar embora
E de novo voltar a viver
Em paz comigo.
Geninha 
Fatalmente

Então chegamos aqui
Você só, no teu canto
E eu aqui em uma rotina caótica
Totalmente entregue à espera incansável
Pela tua volta
Que a cada dia que se passa
Se torna insuportável
Quisera eu que deixaste de lado
Este orgulho sem medidas
E voltasse para os meus braços
Para o nosso cantinho de amor
E trouxesse contigo
Minha alegria perdida.
Geninha 

segunda-feira, 8 de março de 2010

Confronto

Em vão, no confronto comigo mesmo
Tento te esquecer
Contemplo minha triste realidade
Que me causa choque
Desperta em mim nostalgia
Sem controle das rédeas do meu destino
Sinto cansaço, no íngreme caminho
Que fatalmente terei que percorrer
Para te tirar de mim
e voltar a viver.
Geninha
Minha alegria
É te ver sorrindo
É te abraçar apertado
É ouvir teu coração
Me chamando para ficar
Assim pertinho de ti.
Geninha
Tua ausência é silêncio dentro de mim
Nem mesmo o grito desesperado de minha alma
Que implora por ti
Consegue amenizar a dor
Que este silêncio traz.
Geninha
Um Cantinho

Queria apenas um cantinho
No teu coração
Um pedacinho para poder descansar
Este amor que trago comigo
Quem sabe um dia
Tu te lembrarás do meu amor
E o deixará desabrochar
Te faria tão feliz
Mas o que posso fazer
Se nem mesmo um cantinho
Queres me dar?
Geninha

sexta-feira, 5 de março de 2010

Simplesmente Amor

Falo de amor
Porque é ele que me move
Me faz ver a vida
Com esperança, com alegria
É o amor que rege meu destino
Que está voltado para onde nasce o sol
Além do horizonte
Falo de amor
Porque sem ele eu nada seria
Não passaria de uma sobrevivente
Existiria apenas.
Geninha 
Entrega

De olhos fechados
De coração aberto
De alma lavada
Me entreguei a este amor
Que torna meus dias mais bonitos
Mais coloridos
Teu amor é bálsamo
Me cura, me acalma
Me transforma no melhor
Que eu possa ser.
Geninha 
Coração arteiro
Sem juízo, sem medos
É forte, cheio de vida
Bate descompassado
Quando encontra uma paixão
Se entrega, se doa
Não pensa que depois
Pode sentir solidão.
Geninha